7 de abril de 2014

Partes do avião - Parte 3

 APU
O APU é um motor secundário localizado na parte de trás do avião. Ele não gera empuxo, porém gera energia para os instrumentos do cockpit enquanto os motores principais estão desligados. Presente normalmente em aviões de grande porte apenas.


MOTORES
Os motores do avião servem para gerar tração. São divididos em dois grupos: motores a pistão (utilizados em aeronaves de pequeno porte) e motores a jato (mais comuns em aeronaves de grande porte). 

O motor a jato funciona sugando ar através dos fans (uma espécie de pá) e logo depois esse ar é comprimido. Então, na câmara de combustão, esse ar comprimido é misturado com combustível e essa mistura é acesa, ocorrendo a combustão. Toda a força dessa “explosão” sai pela parte de trás do motor, criando empuxo para o avião. 

Já o motor a pistão funciona de maneira parecida. O ar entra por um bocal e é filtrado, passando depois pelo carburador (algumas aeronaves não possuem carburador e sim injeção direta) onde a mistura ar + combustível é criada. Então a mistura é direcionadoa para o cilindro, onde é comprimida e ocorre a combustão. A combustão move o pistão, e esse movimento é transmitido para o eixo de manivelas que gira a hélice, criando tração através das pás.

TUBO DE PITOT
O tubo de pitot é um aparelho que fica no nariz ou nas asas do avião e que é responsável por medir a velocidade do avião através da pressão do ar. Há dois orifícios por onde é medida a pressão: um na frente, que mede a pressão dinâmica, e outro lateral, que mede a pressão estática (PE). A diferença entre essas pressões é utilizada para calcular a velocidade. Pelo fato de o tubo de pitot estar localizado no nariz e nas asas do avião, ele acaba ficando vulnerável ao gelo. O gelo tapa os orifícios do tubo de pitot, fazendo com que ele mande informações erradas aos pilotos. É por isso que no cockpit há um dispositivo chamado PITOT HEAT que aquece os tubos de pitot, evitando o congelamento dos mesmos.


Postar um comentário